[Saiu na Mídia] At Revista – Cuide da beleza agora!

[Saiu na Mídia] At Revista – Cuide da beleza agora!

Cuide da beleza agora!

Veja os tratamentos que são bons de realizar (ou, pelo menos, de iniciar) no inverno para estar com o corpo em dia para o verão.

O inverno é a época ideal para fazer uma série de procedimentos estéticos que vão te deixar com um visual mais bonito para o verão. “Principalmente os clareamentos faciais, corporais e os íntimos, ou seja, da região genital.

As temperaturas mais frias e a menor exposição ao sol favorecem o uso de ácidos mais agressivos, como os retinóicos”, explica a médica dermatologista Fabiana Addario, completando que procedimentos como peelings que envolvem a apl mais fortes) e lasers fracionados (que provocam uma queimadura na pele para trocá-la) são muito bem indicados de agora até setembro.

lris Flório, pós-graduada em Dermatologia e Estética Médica, concorda que esse é o momento para realizar procedimentos mais invasivos, que exigem certos cuidados incluindo proteção solar mais intensa ainda. “Além de peeling químico e lasers, também está entre eles o microagulhamento em geral”, observa ela, que é dermatologista do salão e clínica estética Pelle & Capelli e avalia que seu consultório é mais procurado por pessoas interessadas em tratamentos para rejuvenescimento e manchas. “É bom mesmo iniciar logo, antes de o verão chegar, pelos motivos cita dos acima”.

Em relação ao corpo, Fabiana reforça que vale a pena se preparar o quanto antes, pois esses tratamentos dependem de uma cadência para dar resultado, sendo necessárias várias sessões. Os mais procurados são os para celulite e flacidez corporal.

“Os resultados dependem muito da idade, das condições de saúde, dos hábitos de vida. O ideal é que a pessoa procure aliar o tratamento com exercícios físicos regulares e alimentação saudável, pois aparelho sozinho não emagrece. E beber água é uma orientação essencial”.

Outro detalhe bem importante é a associação de técnicas, porque a celulite (na verdade, a lipodistrofia ginoide) é uma doença na qual há uma alteração da circulação, depósito de gordura localizada, flacidez e fibrose.

“Portanto, temos que abordar todas essas causas”, indica a dermatologista Fabiana Addario, que detalha a seguir os tipos de procedimentos apresentados nos últimos congressos médicos.

Queixas no consultório:

Uma das maiores reclamações no inverno é o ressecamento da pele e dos cabelos. Outra comum é a piora da dermatite seborreica (caspa).

“Para amenizar isso, é preciso beber água, o que muita gente não faz. A água é vida, a principal responsável pela nossa real hidratação. Ajuda também no bom funcionamento do intestino”, destaca Fabiana. Outra orientação é sobre a temperatura da água do banho: nada de deixar muito quente, pois resseca a pele, os cabelos, piora a dermatite seborreica e várias doenças de pele. como a atópica e alergias.

Por isso, as duas médicas orientam hidratar o corpo, a pelo e o cabelo. “Os cremes cosméticos mais cheirosos, muitas vezes, não dão conta do ressecamento da pele. Evite buchas e sabonetes agressivos. Faça hidratações capilares com máscaras uma vez por semana. E cuidado com o secador de cabelo próximo aos fios! Use sempre um protetor térmico antes”, orienta Fabiana, considerando que tais cuidados no dia a dia minimizam os problemas.

Alguns Tratamentos:

Ondas de choque: Indolor, não invasivo, com compactação da gordura, estimulo das fibras elásticas e colágenas e drenagem linfática. O protocolo é de dez sessões.

Radiofrequência: Por meio da frequência de rádio, aumenta-se a temperatura local, estimulando fibras elásticas e colágenas e com o aumento do metabolismo local eleva-se o “gasto” dosadipócitos (células de gordura). Existem diferenças entre as potências dos aparelhos de radiofrequência. Alguns chegam a destruir as células de gordura. Os protocolos vão depender dos equipamentos.

Ultrassom e Micro e Macrofocado:

É o novo queridinho do momento. O ultrassom microlocado tem sido usado há anos para tratamento de flacidez. A partir dele vem a tecnologia macrofocada que permite o tratamento corporal. Ele provoca pequenas queimaduras no musculo, que, para se recuperar melhora seu tônus, fincando mais firme. Tanto é que algumas pessoas sentem dor muscular após seu uso, como se tivessem feito ginástica. Os protocolos corporais são de três sessões com intervalos de cerca de 30 dias entre elas.

Write a Reply or Comment